Skip to content

Pequena Tabita

Fevereiro 5, 2013

Estou escrevendo este post com uma mistura de sentimentos. Tristeza por temer pela vida de uma pequena princesinha, mas ao mesmo tempo alegria por saber que o Senhor JAMAIS nos desampara. O post de hoje é dedicado à pequena Tabita que estava internada no hosítal Pedreira desde o dia 20/janeiro por conta de tosses constantes. Houve suspeita de várias coisas, mas os resultados nunca batiam com as suspeitas. Até que chegaram ao triste diagnóstico: “Expansiva lesão sólida com áreas hipodensas (…)” ou seja, está com um tumor. O câncer agressivo estava com uma mancha muito grande no pulmão. O medo então passou a ser outro. Saber se o tumor estava dentro ou fora do pulmão. É aí que o nosso papel entra: Oração! Uma grande quantidade de amados irmãos se uniram a esta família em oração. Intercedendo, rogando e clamando para que fosse feita não a nossa vontade, mas a do Pai!

Os médicos descobriram que o tumor havia “abraçado” o pulmão, passado pelo coração e entre as costelas. Para mim, isso é um milagre! O Senhor protegeu cada órgão dela, e até agora o tumor não invadiu nenhuma parte interna dos órgãos!!! Ela foi transferida segunda feira passada (dia 3) para o hospital infantil Darcy Vargas. Está fazendo uma série de exames para ser operada provavelmente amanhã.

IMGP0132Essa toda de rosa, é a Tabita com sua amiguinha Malú. (Lindas, não é mesmo?!)

Quando acontece esse tipo de coisa, nossa primeira atitude é questionar. O problema não é fazer questionamentos, mas sim quais questionamentos. Não devemos questionar Deus o por quê Ele permite tais coisas em nossas vidas, mas sim, o que Ele quer nos ensinar. Qual o propósito de Deus para dois pais que estavam litelamente de malas prontas e viagem marcada para ajudarem como missionários um trabalho em Boninal (BA)? Qual o propósito do Denhor de permitir tal situação na vida de uma mãe e um pai? Como a irmã Rosa (mãe da Tabita) iria consolar outras mães se ela não soubesse como é enfrentar problemas e dificuldades? Como o irmão Osano (pai da Tabita) iria ensinar que devemos pedir forças ao Pai nos momentos de dificuldades e não desanimar, se ele mesmo não tivesse passado por uma dificuldade de tamanha proporção?

Família TabitaEssa é a foto da família que o Senhor está guardando. Da esqueda para a direita: Tabita, Rosa, Tifani e Osano.

Bom, só sei que o Senhor não falha nunca em seus propósitos. De maneira alguma estou aqui “pregando” que essa é uma situação fácil. E é exatamente por isso que fiz este post. Para apresentar a linda Tabita e pedir para que você entre nesse compromisso de oração comigo e com outras dezenas de irmãos!
Vamos orar e pedir por essa família. Vamos pedir para que o Senhor faça um milagre. Mas vamos pedir também para que seja feita a vontade do Pai, e não a nossa!
Dedique alguns minutos também à Tifani (irmã da Tabita), pois não deve ser nada fácil ver sua irmã nessa situação.

Caso queira deixar algum recado para esses queridos irmãos, para Tifani ou Tabita, pode mandar por aqui mesmo em forma de comentário (aí é só especificar se quer que publique ou não…), pode mandar para o meu email também: thais_fro@hotmail.com, ou pelo facebook.

Repasse essa história para conhecidos para que possa aumentar o número de orações!
Lembre-se:  “Está alguém entre vós aflito? Ore. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” Tiago 5

Irei visitá-la hoje, se Deus quiser… qualquer novidade vou postando aqui…

Obrigado pelas orações.

Com muito amor,

Tha

Eleições 2012

Outubro 27, 2012

Em algumas cidades no próximo domingo, será realizado o segundo turno das eleições, e eu senti no coração de compartilhar algo que me ajudou quando eu fui votar pela primeira vez há alguns anos atrás (eu queria ter postado este texto já no primeiro turno, mas não foi possível, infelizmente). O texto (simples) é do Pastor Neemias Lima, e pra foi bem útil. Espero que te ajude também!

Primeiramente, gostaria de dizer eu eu não indico nenhum candidato, apenas vou apresentar alguns princípios, e que os cristãos são sábios e que por isso buscam se pautar somente pela Bíblia.

Portanto, quer comais quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus- 1Coríntios 10.31

Abaixo, o texto:

“Sempre que estamos envolvidos com eleições, somos indagados como, e em quem, deve votar o cristão. Alguns clichês são divulgados, na maioria com interesses de garimpar o voto da comunidade evangélica. Arrisco aqui, a partir de procedimentos pessoais, alistar critérios que julgo plausíveis. Se concordar, tente colocar em prática!

Fidelidade. Procuro saber como pensa em termos de fé o candidato que está com possibilidades de ganhar meu voto. Teria muita dificuldade em votar num candidato que se posicionasse contra princípios que são defendidos pelo cristianismo e que, deliberadamente, assumisse posições de fé contrárias ao que defendo. O momento é muito perigoso e há assuntos que trarão graves consequências para a nação.

Competência. Diferentemente do que se possa pensar, não basta professar a mesma fé que professo. É preciso mostrar competência. Um fervoroso sem conhecimento de leis, de administração, orçamentos e outros assuntos seria presa fácil para sistemas que se perpetuam maldosamente na vida pública.

Historicidade. Quando esteve em atividades públicas, como se comportou o político que deseja o meu voto? Qual é a sua história em termos de família, de homem público, de compromisso com sua função? É bom saber o passado e o presente, pois o futuro não será muito diferente.”

Bom, após ler este pequenino texto simples, mas claro, eu, Thaís, tiro algumas conclusões que são apenas a minha opinião. O cristão não é (ou pelo menos não deve ser) alguém que vai atrás de “boas propostas” ou segue pessoas que apenas prometem coisas muito interessantes. O cristão, é aquela pessoa que analisa tudo que lhe vem ao coração e aos olhos, à luz das Escrituras. Busca sim, os seus interesses, mas os seus interesses como cristão. Não como apenas mais um cidadão. Em outras palavras, o cristão sempre busca a Bíblia para saber se o que está fazendo ou fará traz glórias ao Senhor, conforme Paulo ordena lá em I Coríntios 10. Assim como qualquer outro que vota, ele deve avaliar se os candidatos atendem aos seus interesses e “exigências”; Deste modo, o cristão já deve analisar se o candidato irá glorificar ao Senhor com suas propostas. E não votar em pessoas que sejam contra a vontade de Deus. Como nós, cristãos, vamos votar em alguém que não é cristão e nem ao menos concorda com a nossa prática? Vamos eleger alguém que mais tarde irá aos poucos proibindo liberdade de expressão, cultos ao ar livre, reuniões religiosas em determinados horários, reuniões em horários nenhum, cantar certas músicas, ler um certo livro chamado Bíblia, e finalmente proibir adoração a Deus? Não estou exagerando. É somente uma questão de tempo, aliado a um candidato ímpio e perverso (que é o que não falta por aí). Por último, o que deve nortear nosso pensamento, é que o voto é uma espécie de pacto. Quando votamos em alguém, não estamos simplesmente apertando algumas teclas e pensando: “Bem, seja o que Deus quiser, tomara que dê certo…” O homem e a mulher de Deus que pensam assim, desconhecem o que estão fazendo. Por ser um pacto, tudo o que seu candidato fizer, automaticamente, você está dizendo: “eu votei nele, e eu apoio e concordo com tudo  que ele faz”, sendo bom, ou ruim.
Analisando tudo isso, eu penso (e acredito que muuita gente também pensa) que está impossível de se votar, pois não tem nenhum candidato que se enquadre nesses “requisitos”.
 Portanto, nestas eleições, caso encontre um candidato de acordo com a Lei de Deus revelada em Sua Bíblia, vote sem demora nele! Todavia, caso não haja algum, e você creia ser coerente, vote nulo. Mas depois, lembre-se que você não pode reclamar, exigir e cobrar NADA do candidato eleito, pois você não contribuiu em NADA para que ele estivesse lá juntamente com suas propostas.
Mas isso nos leva a um aprendizado (assim como tudo na vida) que Deus nos permite. Resumidamente, a Bíblia nos ensina que só devemos votar em pessoas que estejam de acordo com as Escrituras, ou que ao menos concordem e apoiem nossas práticas. Como é muito provável que homens não tementes ao Senhor e seguidores da Lei subirão ao poder, lembremos, então,  do que Paulo nos diz:
Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade (1Tm 2.1-2)

 O que me conforta também, é saber que “…Dele é a sabedoria e a força…Ele remove os reis; e estabelece os reis…” O meu Deus, todo poderoso, é quem permite que nossos governantes estejam no poder. E eu sei que um dia, terá um governo de opressão contra os cristãos. Mas se podemos ainda, desfrutar da liberdade religiosa, porque não optar por ela?

Não estou aqui, de maneira alguma fazendo apologia ao PT, PSDB e muito menos ao voto nulo/branco, até porque vivemos em uma “democracia” e se podemos optar por quem queremos que esteja no poder, porque não aproveitar? Mas pesquise, vá atrás, observe os antecedentes dos candidatos, e principalmente: Ore, para que o dono de toda a sabedoria, nos conceda um pouco para um momento tão importante como esse. Clame por seu país, seu estado, cidade, município. Clame por seus vizinhos. Clame pela salvação das almas perdidas.

Não vote em alguém pensando que tudo vai mudar, tudo vai ficar melhor e bla, bla, bla. Infelizmente, a tendência é piorar. Só teremos um governo de equidade quando o Senhor Jesus vier reinar! Por isso clamamos: “Ora vem, Senhor Jesus!”

Deus te abençoe e boa escolha!

Vida, algumas coisas vão mudar por aqui…

Outubro 10, 2012

Eu não sei nem por onde começar, mas algumas coisas realmente precisam mudar em minha vida.

Sabe quando você ouve aquela pregação maravilhosa e abençoada e diz: “Não, agora eu vou fazer, eu vou trabalhar, eu vou servir, eu vou mudar”? Aí passa um mês, e a sua transformação está ótima! Você está crescendo espiritualmente, que é uma beleza! Seu devocional está perfeitamente pontual e prazeroso, não falta mais aos cultos, sua influência entre seus amigos está absolutamente perceptível, está evangelizando e até “ganhou” uma pessoa para Cisto! Nossa, que progresso hein?! Mas aí, um dia você está muito cansado e foi dormir sem ler a Bíblia. Mas pelo menos você orou. Foi aquela oração ridícula e egoísta que você só pede pela família, amigos, saúde, vida, paz mundial, pelo restante do mundo,  agradece pelo dia, amém. Ahh, esqueceu do “em nome de Jesus”… Mas tudo bem, agora sim você pode dormir tranquilo e em paz. Mas aí, no outro dia você também está muito cansado, porque afinal de contas,  tem tanta coisa pra fazer, não é mesmo? E outra, Deus entende… aí você não lê a Bíblia, e também não ora. Mas como esses pregadores de última qualidade só sabem pregar: “Deus é amor, e ele entende que você não tem tempo, meu amado!” Então, isso vai se tornando rotina, mas um dia ou outro, você lê a Bíblia. Lê a noite, porque fala sério né Thais… acordar meia hora mais cedo antes de ir trabalhar e estudar, é muito sacrifício! Mas sabe o que é mais  curioso? Jesus ficar longas horas pendurado por cravos nas mãos e nos pés em uma cruz, não é sacrifício, né? Ele ser chicoteado com violência e ódio, com chicotes com pontas de ferro até suas costas e pernas ficarem em carne viva, não é sacrifício. Ser cuspido por homens blasfemadores, também não é sacrifício. Ser humilhado, e usar uma coroa de espinhos, qualquer um pode fazer porque pra você, isso também NÃO é sacrifício. Sacrifício pra você é acordar um pouquinho mais cedo para ler a Bíblia e orar, não é? Coisas que o único beneficiado nisso, é você mesmo. Pare de ser egoísta, e desprezar o sacrifício de Jesus na cruz! Eu temo que, se não houver uma mudança séria em nossas vidas, a Palavra de Jesus também se aplicará a uma grande parcela de crentes que, deveriam na verdade, representar a exceção: “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará…” Pare de se iludir e achar que é um Cristão, que é um filho de Deus sem ser. Talvez, muitos possam ir para a destruição eterna, pensando estar caminhando para o céu. Se quando olhamos para dentro de nossos corações, vemos que realmente somos resgatados do Pai, mas vivemos essa vida de desprezo ao evangelho, devemos nos arrepender, e falar pra nossa vida que, algumas coisas vão mudar por aqui! A começar pelo amor, pela comoção a taaantas almas perdidas. O amor é o combustível da comoção. Sem comoção, vemos que o amor não está queimando e produzindo o calor necessário para aquecer os corações. A pergunta é: qual o meu grau de comoção diante de pessoas próximas de mim que ainda não conhecem a Jesus Cristo? O que faço para mudar a situação delas? Qual o nível da sensibilidade de meu coração diante da situação delas? Diante dos sofrimentos dos meus semelhantes, faço o que está ao meu alcance com o coração comovido? As perguntas são muitas. E as respostas quase sempre mostram que temos um nível de comoção bem pequeno, praticamente inexistente. Se estamos assim com aqueles que estão próximos de nós, como temos a audácia de falar que “amamos a Cristo”???

Bom primeiro quero dizer que, quando digo “você”, estou incluída nesse meio. Primeiro tirei a lição para mim. Eu estava vivendo essa vida cômoda de “cristã”. Mas Deus não merece esse nosso desprezo. Jesus não merece que tratemos todo o seu sacrifício dEle como nada, e ainda sairmos por aí carregando o nome de Cristo. O que fico mais impressionada, é  a maneira como o Pai trabalha. Mandou o Pr. Paul Washer aqui no Brasil, pra falar diretamente ao meu coração. Não somente ao meu, mas ao de tantas pessoas que o ouviram. Eu agradeço MUITO ao meu maravilhoso Jesus Cristo, que é tão bondoso em permitir que eu tivesse mais uma oportunidade de mudar. Todas as vezes que falamos “eu vou mudar, eu vou transformar”, são aquelas outras tentativas frustradas de tentar, tentar e não sair do lugar. Dessa vez, eu quero sim, mudar muitas coisas em minha vida. Não eu, mas Cristo, que vive em mim!

Que o Senhor nos ajude nessa transformação!

Perto de Deus- Parte IV

Setembro 26, 2012

Como fazer com que a presença de Deus seja real em minha vida?

Os sinais de rádio são percebidos quando alguém se encontra em sintonia. Em um sentido maior, Deus está com você neste momento, mesmo que você não O esteja “vendo”. Sabe o que está fazendo mesmo quando você não está pensando nEle, ou quando não presta atenção. Por isso, não tente “tornar” sua presença real. Deus não está presente somente quando você o sente com intensidade. Ele estará presente o tempo todo e em todos os lugares.Uma das melhores maneiras  de tornar clara a presença divina, é servindo aos outros tanto formal, quanto informalmente. O serviço formal pode abranger aulas na escola dominical ou mesmo o trabalho na cozinha da igreja. O informal, é uma maneira de colocar Jesus em evidência. Cada vez que você se abaixa para escutar uma história ou estória (crianças adoram contar suas luuudicas histórias, né?! haha) de uma criança, demonstra que Deus se preocupa com os detalhes da vida. Cada vez que se assegura que um filho ou filha segue determinada regra, mostra o valor de fazer o certo. Sempre que tem o interesse de sentar-se ao lado daquele idoso da igreja, e pergunta como ele se sente naquele dia, qual foi o resultado do ultimo exame, ou mesmo perguntar algum conselho da experiência de vida que ele tem, mostra um gesto de compaixão e carinho. Sempre que demonstra consideração por uma pessoa, destaca o valor do amor ao próximo tanto quanto a si mesmo. Ao servir aos outros, verá o poder transformador de Deus em outras pessoas e em você, e sentirá o enorme prazer que o Pai sente quando supre nossas necessidades, nos dando aquilo que precisamos. Não somente material, mas principalmente espiritual e pessoal. E é exatamente assim que vamos ver que  Deus é real em nossas vidas, que Ele está presente. Para sintonizar-se à Ele, basta imitá-lo. Fazendo o que Ele faria, se estivesse em seu lugar. A sintonia de Deus, é perfeita, é o bem, é o amor, é a salvação.Como Deus tem transformado a sua vida e a de outras pessoas através de suas atitudes de servir?

…Certo estou, a respeito de vós, que vós mesmos estais cheios de bondade, cheios de todo o conhecimento, para que sejais ministros de Jesus Cristo para os gentios, ministrando o evangelho de Deus, para que seja agradável a oferta dos gentios, santificada pelo Espírito Santo. De sorte que tenho glória em Jesus Cristo nas coisas que pertencem a Deus. Antes, como está escrito: Aqueles a quem não foi anunciado, o verão. E os que não ouviram, o entenderão…
Romanos 15: 14-21
Quando fazemos o nosso papel de cristão, sentimos o verdadeiro amor de Cristo às pessoas, levando-as a conhecer o imerecido amor de Jesus Cristo, O Salvador.
Neste momento, você está em sintonia com Deus, e suas magníficas atitudes?
Com amor, Tha

Perto de Deus- Parte III

Setembro 7, 2012

Como fazer com que a presença de Deus seja real em minha vida?

Perto de Deus

Desde crianças (para aqueles que como eu, cresceram em um lar cristão) aprendemos que Deus está em todos os lugares. Ou seja, é onipresente. E a Bíblia nos revela exatamente isso. Nos mostra que Deus está em toda parte, o tempo todo. Então sabemos, com o nosso intelecto (e através da leitura da Palavra), que Deus está perto. Às vezes estamos particularmente conscientes da presença dEle, como quando um caminhão em altíssima velocidade quase bate em nosso carro, quando ficamos sabendo que o ônibus ou avião em que iríamos viajar sofreu algum acidente e nós não estávamos nele, quando por questão de segundos somos livrados de algo ruim, quando ouvimos palavras de conforto de alguém que ao menos sabe de nossas dificuldades, ou quando estamos na igreja, absortos no louvor a Deus.

Outras vezes por longos períodos de tempo, parece que somos incapazes de sentir a presença do Senhor. Então sondamos nossos corações, procurando algum pecado que possa estar nos afastando de Deus. Confessamos o que encontramos, mas Deus parece ausente. Continuamos a orar e a adorar. Ainda assim Ele parece estar totalmente longe.

Algumas vezes, acredito eu, Deus permite-nos essa sensação de ausência pra ensinar-nos a não dependermos daquilo que fazemos ou sentimos, mas, sim, dEle mesmo. Não é porquê não estamos sentindo sua presença, que Ele não está presente. À medida que, nesse tempo de trevas, permanecemos confiando em Deus, (cada vez mais) mesmo quando ainda não podemos senti-lo, saberemos que, mais cedo ou mais tarde, perceberemos o seu amor novamente, nas coisas mais simples da vida. Principalmente quando estivermos em plena comunhão e satisfação no Pai!

Fiquei me perguntando se era possível ofender a Deus de tal forma que Ele se tornasse inacessível? E cheguei à conclusão que sim; por diversos motivos, mas o principal é o exemplo do povo de Israel, quando estavam em Jerusalém, na época de Ezequiel. O capítulo 8 de Ezequiel, retrata um quadro terrível, mostrando os líderes espirituais do povo usando o templo santo de Deus para adorar deuses pagãos. Então, em uma das cenas mais trágicas do livro de Ezequiel, o Senhor retira a sua glória do templo e se afasta.

“…Então saiu a glória do Senhor de sobre a entrada da casa, e parou sobre os querubins…”

Eu sei que Deus não habitava e nem habita no templo construído pelo homem. Deus não pode ser limitado por nenhuma de suas criações, muito menos a quatro paredes. Mas a sua presença enche todas as coisas criadas, que naturalmente foram criadas por Ele. Salomão entendeu isso muito bem quando dedicou o templo a Deus. Portanto, em todas as passagens que Deus estava com o povo, eles ganhavam as gerras, o adoravam com fervor e alegria, enfim… estavam realmente sentindo sua presença. Mas seeempre caiam naquele ciclo vicioso: Estão bem, pecam, Deus traz justiça sobre eles, são levados cativo, se arrependem e voltam para Deus. A história sempre foi a mesma! (E conosco não é diferente. Não é mesmo?)

Essa passagem nos ensina que não se pode considerar a presença de Deus como algo sempre a disposição, como se fosse possível ligar ou desligar, ou agora eu quero Deus comigo, agora eu não quero… Precisamos aprender a valorizar a sua santa presença. Independente de estarmos sentindo-a ou não. No ciclo vicioso do povo de Israel, Deus nunca era culpado da justiça que caía sobre eles; mas em todas as vezes que foram levados cativos, foi somente um reflexo de todo o pecado que haviam cometido. Mas, a partir do momento que eles se arrependiam, e se voltavam para o Pai, podiam sentir a sua presença novamente! Jamais vamos sentir a presença de Deus enquanto não reconhecermos o nosso estado de fraqueza e pecado, e que Ele está ao nosso lado, mesmo quando não estamos sentindo. Isso não depende de nossas forças, mas vem do Pai.

Meu Facebook de todos os dias

Agosto 29, 2012

Quando eu li este texto, ao menos tinha Facebook. E eu até preferia aquela época, sabe. Quando li, pensei: “nossa, o que será que esse Facebook tem, que faz isso com as pessoas?!” rs Tolinha eu, não é mesmo? Mal sabia eu que o real problema não era o Facebook, mas sim os usuários e a forma como eles o utilizam. E hoje eu fui (digo fui, e não sou, porque estou lutando contra isso) um desses usuário desenfreados. Esse texto, foi muito bom para que eu pudesse enxergar os erros que estava cometendo e repará-los com a ajuda da palavra. Aproveito já, para recomendar um texto muito prático, que eu li faz alguns dias, e que me levou a pensar muito neste assunto. O texto fala de como “desviciar” do Facebook. Ele foi traduzido pela Fran , que tem um blog muito fofo e abençoado! É só clicar aqui para ler.

_______~~.~~______

Texto de Sproul Jr. Original aqui

Não precisamos proteger nossa privacidade. Precisamos, ao contrário, expor nossos pecados à luz, a luz das Escrituras.

Os cristãos devem estar no Facebook? E sobre todas as questões de privacidade que estão no noticiário nestes dias?

Às vezes me pergunto se o diabo não tem grande prazer na ironia, em ver-nos transformando a nós mesmos de dentro para fora, (com a ajuda do facebook) enquanto perdemos o alvo. Embora eu esteja no Facebook e, portanto, pelo menos sustente uma convicção provisória de que isso é permitido aos cristãos, existem algumas razões para levantar algumas preocupações a respeito disso. Privacidade e falta de privacidade, entretanto, seriam provavelmente a última preocupação que eu levantaria. É com o anúncio público e controverso do Facebook a respeito de sua mudança na política de privacidade que, no entanto, muitos cristãos estão preocupados. Como, me pergunto, alguém pode usar uma tecnologia que existe para dizer ao mundo “Estou aqui. Venham me observar” e reclamar que o mundo está vindo observá-lo? É totalmente ilógico expormos nossas vidas, e depois falarmos: Nossa, mas cadê a minha privacidade???

Qualquer pessoa que deseja mais privacidade pode conseguir isso facilmente: Não use o Facebook. Se você já usa, pare. Estamos nos comovendo moralmente por todos os motivos errados. Estamos horrorizados com os proprietários do Facebook por ousarem mudar sua política (o que, lembre-se, a política original apresenta é a decisão pessoal deles), ao invés de nos abalarmos com nós mesmos por implicitamente quebrarmos o oitavo mandamento. Pensamos que, por sermos usuários do Facebook, isso nos torna proprietários do Facebook, e assim exigimos isso ou aquilo de seus proprietários verdadeiros.

Dito isso, aqui estão algumas preocupações muito reais que tenho em relação ao Facebook:

Primeiro: ele se tornou um deus para nós? Quando Deus ordena que não tenhamos outro deus diante dEle, Ele não quer dizer posicionado acima dEle, mas em Sua presença. Se o Facebook tornou-se indispensável para você, ao ponto de não conseguir ficar ao menos três dias sem visualizar suas atualizações, você precisa parar, pois o Facebook tornou-se um deus em sua vida. Você  está pecando!
Segundo: tornou-se uma imagem de escultura? Você confunde a realidade do Facebook com a verdadeira realidade? Você realmente pensa que tem 200 amigos?(chutando muito baixo, comparado ao número de “amigos” que temos em nosso Facebook)
Terceiro: você tem tomado o nome do Senhor em vão? Isto é, você, em momentos de fraqueza, difamou publicamente nosso testemunho cristão? Você está rindo de seus antigos pecados com aquele velho colega da faculdade ou da escola?
Quarto: o Facebook está me dando a paz do Senhor ou me agitando? (E por favor, note a grande diferença entre aquela paz que excede a todo entendimento, que encontramos no Senhor, e a “paz” que recebemos quando alimentamos um hábito ou satisfazemos um vício). Fico tenso se não faço login? Fico mais animado depois que desloguei?
Quinto: estou honrando as autoridades sobre mim? Esposas, vocês estão falhando em honrar seus maridos porque estão muito ocupadas lendo sobre seus amigos? Filhos, vocês estão falhando em honrar seus pais porque estão muito ocupados cutucando?
Sexto: essa tecnologia honra a vida? O cyber-espaço pode ser um deserto inóspito, não porque é cheio de pornografia e jogos de azar, mas porque não é real, porque é gnóstico. Deus nos deu uma vida para gastarmos o nosso precioso tempo com tolices, que nem ao menos são reais? Quando digo que não são reais, é porque existe muita mentira a respeito do que  realmente somos no Facebook.
Sétimo: você está amando seu cônjuge no Facebook? O fluxo de nostalgia de reencontrar amigos há muito perdidos te encoraja a estar insatisfeito? Você está secretamente olhando para aquela antiga namorada? Você já caiu em adultério simplesmente por desejar que pudesse ter dezesseis anos novamente? Ou você não sabe que o Facebook pode facilmente degenerar em pornografia relacional? O poder da pornografia é que você acha que pode ter as alegrias da união sexual sem ter um relacionamento real, com uma pessoa real! O poder do Facebook é a mesma coisa.
Oitavo: você está roubando de seu chefe horas completas de trabalho porque tem um segundo emprego no Farmville ou como chefão do Mafia Wars? Ou simplesmente porque você está desperdiçando suas horas de trabalho descobrindo as últimas novidades da sua rede de “amigos”?
Nono: você está mentindo? Ou seja, o que você mostra no Facebook é o verdadeiro você? Esta tecnologia tem uma capacidade perniciosa tanto de esconder a realidade, quanto de nos levar a pensar que o que estamos mostrando e vendo, é a realidade. Por que nossas atualizações são todas sobre nossas vitórias – acabei de fazer cookies para a família; meu filho acabou de marcar o ponto da vitória; ao invés de nossas falhas? – Acabei de gritar com minha filhinha; Faz cinco minutinhos que desobedeci uma ordem de meus pais; Mantenha atenção particular neste ponto, pois temos a forte tendência de mostrar somente a nossa parte doce, boa, alegre e agradável, ao invés de mostrarmos como REALMENTE somos no dia a dia. Não é uma foto abraçada com meus pais que vai ditar como acato as ordens deles, todos os dias.
Décimo: o Facebook está encorajando o contentamento ou o ressentimento? Você está invejando a quantidade de amigos do seu próximo? Você tem ciúmes de quantos “curtir” há nos posts dele se comparados aos seus? Você está contente com a vida real que está levando quando se afasta do teclado? Não podemos sair da nossa realidade. Quando estamos desgostosos com a vida que levamos, cometemos dois pecados: 1-Não somos agradecidos pelo que temos; 2- Não conseguimos enxergar nossos defeitos, para trabalharmos neles.

Por favor, não interprete mal essa experiência de pequenas reflexões. Suspeito que poderíamos caminhar pelos Dez Mandamentos à luz de nossa igreja e encontrar as mesmas tentações, fora mesmo do Facebook. Isso não significa que você deva ficar longe da igreja. Significa que deveríamos saber que somos grandinhos o bastante para poder identificar O QUE estamos fazendo, e PORQUE estamos fazendo. Comecemos por afirmar que nossos corações não são apenas desesperadamente corruptos, mas enganosos também. Não precisamos proteger nossa privacidade.  Precisamos, ao contrário, expor nossos pecados à luz, à luz da Escritura para que possamos nos arrepender e crer, para que Sua face resplandeça sobre nós.

Obs.: Desculpem-me pela minha tradução falha, pois o meu inglês é péssimo, e os dicionários online não ajudaram muito! haha. Eu modifiquei algumas partes a adicionei algumas outras, com a permissão do autor, ok?! Espero que tenha ajudado em algo, assim como ajudou para mim. Que nossas vidas venham não ter o título deste post, mas sim, o meu relacionamento com Deus de cada dia!

Perto de Deus- Parte II

Julho 26, 2012

Como fazer com que a presença de Deus seja real em minha vida?

Na semana passada iniciei a série de posts “Perto de Deus”. Falei que, se queremos sentir a presença de Deus mais real em nossas vidas, devemos nos curvar diante dEle. Hoje a Bíblia nos ensina que não adianta apenas nos curvarmos perante o Pai, mas também devemos adorá-lo de todo o coração para sentirmos a sua presença de uma maneira tão real a ponto de voltarmos ao primeiro amor. Pratique a adoração!

Pode ser que deixemos os dias correrem, aguardando que Deus apareça para nós e declare a sua presença. Embora não esteja esperando relâmpagos ou uma voz de trovão vinda do céu, gostaria de pelo menos sentir a presença dEle. Um calor interior dizendo: “Eu, estou aqui, com você!” Um pequeno sinal como uma voz a sussurrar: “Estou aqui ao teu lado…”
Às vezes, pela bondade de Deus, é exatamente isso que acontece. Você sabe que Deus está ao seu lado. Mas em outros momentos, quando está mais necessitado, (ou desanimado) parece que Ele está totalmente ausente. E o que fazer nessas horas?

Eu amo estudar o velho testamento por ele conter histórias que mesmo escritas há taaanto tempo, me ajudam, hoje, na minha caminhada da vida cristã! Em II Crônicas, relata as histórias de alguns dos reis de Israel, que foi marcada de altos e baixos. Reis bons, reis maus. Fazem a vontade de Deus, profanam a Deus. Enfim… Não muito diferente de nossas vidas cristãs hoje (infelizmente). No capítulo 28 de II Crônicas, é relatado o mau reinado do rei Acaz (que iniciou-se aos 20 anos de idade). Fez imagens fundidas de baalins, fazia sacrifícios de crianças, adorava a outros deuses exceto o Verdadeiro Deus e esqueceu-se do Deus de seus pais e da casa do Senhor . Já seu sucessor, Ezequias, que com apenas 25 anos, iniciou um reinado que duraria 29 anos de restaurações, reavivamento e adoração a Deus. No primeiro mês, do primeiro ano de seu reinado, todo israel passou por reformas e mudanças que não seriam somente físicas, mas também espirituais. Fariam uma reconciliação  com Deus. Derribou todos os deuses e seu altares, abriu as portas do templo e o reformou e chamou o povo e os sacerdotes a renovarem seus votos com Deus!

…E o louvaram com alegria e se inclinaram e o adoraram- II Crônicas 29:30

O rei Ezequias é um excelente modelo de adorar a Deus, para sentir-se mais próximo dEle. Nessa passagem (versículos 29-36) , encontramos exemplos de adoração. O povo reuniu-se no lugar de oração e confessou seus pecados, pedindo perdão a Deus. Tocaram instrumentos, ajoelharam-se e oraram, recitaram os textos de grandes líderes espirituais do passado, levaram ofertas, cantaram alegres louvores a Deus, agradeceram e pediram sua benção!

…Assim se restabeleceu o ministério da casa do SENHOR- II Crônicas 29:35

É difícil adorar quando Deus perece tãão distante de nós, mas Ele nos convida para o adorarmos em qualquer circunstância. A medida que nos disciplinamos na adoração (mesmo quando não sentimos vontade), iremos nos conscientizar com o que antes nem notávamos: Deus está conosco em todo o tempo, mesmo nos momentos difíceis ou quando não sentimos sua presença!

Por fim, não podemos ser egoístas e querermos que Deus “apareça” a nós, para que somente então, sintamos a sua presença em nossas vidas. Se somos verdadeiros cristãos, o Espírito Santo está a todo o momento conosco. Ele é o nosso consolador! Adore mais a Deus e só então sentirá sua presença de maneira mais forte e real!

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 118 outros seguidores